OPAS publica limites para Sal, Açúcar e Gorduras em Alimentos Industrializados.

processed-foods-supermarket

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), órgão de representação da OMS nas Américas, publicou recentemente novos critérios que definem o que se considera como quantidades excessivas de sal, açúcar e gordura em produtos industrializados.

O modelo destina-se a ajudar os governos a desenvolver políticas mais eficazes para promover a alimentação saudável. O objetivo geral é melhorar os padrões alimentares pouco saudáveis ​​nas Américas que estão contribuindo para a crescente epidemia da obesidade e doenças crônicas, como diabetes, hipertensão, doenças cardíacas, câncer, etc.

Com base na melhor evidência científica disponível, o modelo classifica os alimentos e bebidas industrializados (processados ​​e ultra-processados) ​​como tendo quantidades “excessivas” de açúcar, sal e gordura de acordo com os seguintes critérios:

– excessivo de açúcar, se a quantidade de adição de açúcares é de 10% ou mais do total de calorias.

– excesso de gordura, se as calorias provenientes de todas as gorduras são 30% ou mais do total de calorias.

– excesso de gordura saturada se as calorias provenientes de gorduras saturadas são 10% ou mais do total de calorias.

– excesso de gordura trans se as calorias provenientes de gorduras trans são de 1% ou mais do total de calorias.

– excesso de sódio, se a relação de sódio (em miligramas) de calorias (Kcal) é de 1: 1 ou superior.

Além disto, o documento enfatiza a necessidade de informar ao consumidor, estampado no rótulo do produto, a utilização de adoçantes, incluindo a informação “contém outros edulcorantes” no rótulo dos produtos, quando a lista de ingredientes incluir edulcorantes artificiais ou naturais não calóricos ou edulcorantes calóricos (polióis).

A OPAS acredita que, com as novas definições, os governos poderão elaborar regulações mais efetivas para orientar que tipo de alimento poderá ser vendido ou servido em escolas, além de restrições à publicidade infantil de alimentos pouco saudáveis, aprimorar os esclarecimentos ao consumidor no rótulo dos produtos, entre outras medidas.

Para identificar os nutrientes a serem incluídos no documento e identificar os pontos de corte para cada um, a OPAS convocou um grupo de especialistas em nutrição, presidido por Ricardo Uauy do Chile e Dan Ramdath de Trinidad e Tobago, Carlos Monteiro do Brasil, Juan Rivera do México, Lorena Rodriguez do Chile e Mike Rayner do Reino Unido.

O documento na integra em português (Modelo de Perfil Nutricional da Organização Pan-Americana da Saúde) pode ser acessado em: http://iris.paho.org/xmlui/bitstream/handle/123456789/18623/9789275718735_por.pdf?sequence=8&isAllowed=y

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em açúcar, alimentação e saúde, alimentos industrializados, legislação alimentos, marketing de alimentos, opas, rotulagem nutricional, ultraprocessados, Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s